A arte de contar histórias sempre existiu, mas com o surgimento do digital, ganha agora novos contornos... Na educação e formação, professores e alunos revisitam esta técnica. Afinal de contas, todos gostamos de ouvir (e contar) histórias.
pesquisar neste blog
posts recentes

Apresentação dia 04-02-2011

How Storytelling can enhance your brand communication...

Reading Notes # Antonio Nunez (2009)

#8 - Modelo de Análise

#7 Reuniões de Acompanhamento 3 e 4

#6 - Reuniões de Acompanhamento 1 e 2

#5 - Índice Provisório do Enquadramento Teórico

#4 - Metodologia do Projecto

#3 - Estudos e autores de relevo

#2 - Apresentação

arquivos

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2011
Reading Notes # Antonio Nunez (2009)

É um estratega de comunicação e um excelente storyteller. Escreveu o livro "É melhor que o contes!", e esteve presente na Creative Learning Conference, em 2009.

Na sua apresentação, transcrita no livro da conferência, Nunez fala-nos da forma como redescobrimos a forma de contar histórias, para superar a "saturação e cepticismo do cidadão da era da web 2.0".

Segundo o autor, as novas tecnologias libertaram as "audiências cativas". Estes passaram de simples receptores de histórias a utilizadores de histórias, referindo o famoso caso da LonelyGirl15 do Youtube, como exemplo da banalização do poder de criação, que anteriormente estava restrito a grandes grupos cinematográficos.

A potencial da interactividade dá um novo fôlego às histórias e, consequentemente, acrescenta tempo de vida às suas mensagens. Talvez por esta razão esta técnica esteja a ser cada vez mais utilizada na política, no mundo empresarial, pelos profissionais de educação.

Numa era da "economia de atenção", as histórias destacam-se do resto dada a respectiva carga emocional. Por outro lado, ao não impor o seu sentido, convida ao pensamento crítico e à reflexão, superando o cepticismo do cidadão comum, já que apela ao lado lúdico em vez do racional.

De acordo com o autor, hoje e mais que nunca, a web 2.0 coloca ao storytelling o desafio de superar o medo dos conflitos. Sem conflitos, não há históriam, logo ela nasce vazia, sem significado ou interesse para o seu público.

 



publicado por jcsilva às 23:32

mais sobre mim
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28


subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post

links